E ganhámos de novo...

Dia 18 é sinónimo de mais uma vitória dos aficionados! Entre autorizações, protestos, finalmente a decisão: luz verde à corrida de Viana, a corrida da Liberdade.
Uma tradição naquela terra mais antiga que as próprias festas da Nossa Senhora da Agonia. Prova irrefutável que a tauromaquia está enraizada nas gentes de Viana do Castelo. Ainda assim, foi declarada uma cidade anti-taurina... Mas porquê? Porquê impedir os Vianenses de irem aos toiros? Todos temos direito à liberdade! Liberdade de escolha... Defensor de Moura, antigo presidente da Camâra, foi o responsável pela tentativa de tirar os toiros de Viana!
A associação PRÓTOIRO mostrou que está cá para o que der e vier! Lutou pelo direito à liberdade, membros foram ameaçados, aficionados foram insultados, mas como a "família" aficion é guerreira e lutadora, nada os impediu de ir para a frente com a ideia do regresso das touradas a Viana do Castelo. E assim foi, o ano passado, na praça Ricardo Chibanga foi levada a cabo a primeira corrida da liberdade.
Este ano a historia foi semelhante. Um grupo que dá pelo nome "Vianenses pela Liberdade" juntamente com a PRÓTOIRO fizeram frente aos antis que governam Viana e venceram de novo. Não foi uma vitoria exclusiva da entidades que referi, foi uma vitoria dos aficionados, da festa brava.  Todos estão de parabéns!
Tal como era de prever, vários antis se manifestaram perto do local onde foi colocada a praça desmontável Ricardo Chibanga, alguns, os mais "valentes", arriscaram-se a romper o perímetro de segurança e tiveram que ser agarrados pelas forças policiais, e como se diz em bom português: "quem anda à chuva molha-se!".
Junto à praça o ambiente era outro! Respirava-se aficion num ambiente festivo, cheirava a vitória. Rostos alegres de quem alcançou um objectivo! A praça encheu, e os aficionados fizeram-se "ouvir"!


A festa está viva, e bem viva!


Lisa Valadares Silva

TAG