TOIRO BRAVO: Da arena para a mesa com DOP.

A União Europeia aprovou, no passado dia 8 de Novembro, a “Carne Brava do Ribatejo” como DOP (Denominação de Origem Protegida). A Carne Brava tem de ser proveniente da desmancha de carcaças de animais inscritos no Livro Genealógico Português dos Bovinos de Raça Brava de Lide, nascidos e criados segundo os moldes tradicionais e na área geográfica de produção definida.
A produção de Bovinos de Raça Brava está intimamente ligada e dependente do montado de sobro, azinho e carvalho, bem como da vegetação espontânea. O Toiro Bravo permanece no seu habitat natural, desde que nasce até chegar à idade adulta e ficar apto para a lide. Durante quatro anos, vive em total liberdade no campo, e o facto de se alimentar de produtos naturais confere à sua carne um sabor diferente e mais intenso.
Há oito anos que o Restaurante “O Barril” (Rondulha – Arruda dos Vinhos) tem como “imagem de marca” Especialidades em Bifes de Toiro Bravo. As mesmas são confeccionadas a partir de peças nobres, como as Vazias. Actualmente, “O Barril” oferece aos clientes oito sugestões de Bife de Toiro Bravo: À Antiga Portuguesa, De Coentrada, Com Natas, Com Cogumelos, Com Molho de Mostarda, Com Molho Três Queijos, Com Café e Com Ervas Aromáticas.
Para além destas opções, também é frequente ter no Menu, Toiro Bravo Estufado, Espetada de Toiro Bravo e Costeleta de Toiro Bravo.
Em pleno Ribatejo (“O Barril” fica na fronteira que separa os concelhos de Arruda dos Vinhos e Vila Franca de Xira), a Carne Brava é ainda mais apreciada e valorizada, pois o Toiro Bravo está no “coração” da região.

Restaurante “O Barril”

Arruda dos Vinhos, 20 de Novembro 2013
Mensagem mais recente Mensagem antiga Página inicial