Entrega dos prémios aos triunfadores da temporada 2013 pelo clube taurino Vilafranquense. - Carregar a Sorte

Post Top Ad

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Entrega dos prémios aos triunfadores da temporada 2013 pelo clube taurino Vilafranquense.

Realizou-se no passado dia 14 de Dezembro, no Lezíria Parque Hotel, em Vila Franca de Xira, mais uma edição da Gala de entrega de prémios aos triunfadores da temporada de 2013 na Praça de Toiros Palha Blanco e também a cerimonia da entrega dos galardoes Jose Falcão, em memoria daquele matador de toiros vila-franquense, galardão este que foi instituído pelo Clube Taurino Vila-franquense. A abrir a sessão discursaram: o senhor Nuno Bico, presidente da Assembleia Geral do Clube Taurino Vila-franquense,  Mario Calado e Alberto Mesquita , Presidente da Junta de freguesia e Presidente da Camara Municipal de Vila Franca de Xira respectivamente, que felicitaram o Clube pelo trabalho realizado e reiteraram o seu empenho, cada um nas possibilidades e abrangência das autarquias que governam, em continuar a manter uma  parceria bem alicerçada de forma a contribuir para o sucesso da actividade do Clube Taurino.  Terminou o conjunto de intervenções o senhor Presidente do Clube Taurino Vila-franquense para se congratular com o trabalho realizado durante os seis anos, que se completam em Março de 2014, em que tem dirigido os destinos desta agremiação taurina e agradecer a todas as entidades que contribuíram com a s suas ajudas para o sucesso do trabalho realizado. Aproveitou para deixar uma palavra a todos os premiados e galardoados da noite exprimindo a importância  que constituiu o galardão destinado ao Nuno Carvalho Mata que sendo ainda jovem representa um exemplo para todos os homens de Portugal  pela coragem determinação e resistência, depois do acidente de que foi vitima no Campo Pequeno. Realizou-se um intervalo com a presença do Rancho dos Varinos de Vila Franca de Xira que teve a participação de alguns circunstantes a convite do grupo etnográfico e que  constituiu também um momento cultural representativo das gentes da cidade. Os premiados da temporada foram Antonio Ribeiro Telles, pela lide do sexto toiro da ganadaria Passanha, na corrida de 8 de Outubro de 2013, e Victor Ribeiro , pela lide do quarto toiro da ganadaria Palha, na corrida de 5 de Outubro de 2013, Antonio João Ferreira, pela faena ao quinto toiro da ganadaria de Manuel Coimbra, na corrida de 6 de Outubro de 2013, Pedro Viegas, do Grupo de Forcados Amadores de Alcochete, pela pega ao toiro da ganadaria de Palha, na corrida de 5 de Maio de 2013, Claudio Miguel, na classe de bandarilheiros, pela actuação frente ao toiro da ganadaria de Canas Vigouroux, na corrida de 6 de Outubro de 2013. O Júri decidiu não atribuir qualquer distinção  a qualquer das ganadarias considerando  o  premio, por isso, “deserto”.
Foram distinguidos com o galardão Jose Falcão os senhores Fernando Palha pela sua trajectória como ganadero, aficionado, homem  defensor das tradições ribatejanas e em particular as que se relacionam com Vila Franca de Xira, o senhor Engenheiro  Jose Samuel Lupi , cavaleiro de alternativa que tomou em Lisboa no ano de 1963, tendo como padrinho Mestre João Branco Núncio, comemorando os seus cinquenta anos apos essa data, pela sua trajectória como cavaleiro tauromáquico com um percurso que marcou o toureio a cavalo em Espanha, fazendo parte do “Cuarteto del Apoteosis” juntamente com os irmãos D. Angel e D. Rafael Peralta e Álvaro Domecq Romero para alem das temporadas de América Latina, na década de setenta  e oitenta, na Venezuela e Colômbia, o matador de toiros Maestro  Amadeu dos Anjos, com alternativa em Salamanca, na  Glorieta, em 1963,  tendo Paco Camino como padrinho,   pela sua trajectória como toureiro, quer como novilheiro quer como matador de toiros e por fim Nuno Carvalho Mata, elemento destacado do Grupo de Forcados Amadores do Aposento da Moita que viu a sua carreira interrompida por uma grave lesão causada por um toiro na Praça de toiros do Campo Pequeno, sendo actualmente um grande exemplo para todos, pela resiliência, pelo pundonor com que tem enfrentado os “derrotes” da vida tal como sempre foi capaz de fazer  frente aos toiros.