Primeira do Campo Pequeno com casa Cheia.

A praça esgotou! O Campo Pequeno encheu na primeira corrida da temporada na Catedral doToureio Equestre e recebeu Rui Salvador, Pablo Hermoso de Mendonza e João Moura Jr; dois grupos de forcados (Évora e Aposento da Moita) e seis toiros Santa Maria. 

Um curro de escassa apresentação, de comportamento díspar mas que cumpriram a sua ‘função’.


Rui Salvador, em ano da comemoração dos 30 anos de alternativa, abriu a noite frente a um preto listão de 480kg. Deixou dois compridos, de melhor nota o segundo. O toiro ficava-se depois da reunião, mostrando pouca bravura. Nos curtos quase que posso dividir a lide em duas fases, uma primeira em que Salvador andou correcto, brega valorosa, desenhou bem as sortes e cravou com qualidade, uma segunda fase em que predominou as passagens em falso quebrando um ritmo da lide. No segundo que lidou, de 532kg a história foi outra. Perante um toiro com outras qualidades, Rui Salvador deixou três compridos de modo a provar-lhe a investida. Nos curtos andou inspirado e as ‘coisas’ resultaram muito bem, e fez jus ao ‘cognome’ de cavaleiro de ferros impossíveis. Com ganas e emoção cravou de alto a baixo e o Campo Pequeno aplaudiu.


Pablo Hermoso de Mendonza aguentou de saída o primeiro que toureou de 491kg, toiro reservado e que acabou descaindo para tábuas, mas que permitiu o triunfo do rejoneador. Foi uma lide de rejoneio puro e duro e o Campo Pequeno aplaudiu de pé e com força. Ladeou e cravou com emoção e adornou-se com piruetas. No segundo toiro, de 530kg, Pablo cumpriu na ferragem comprida. Nos curtos, de inicio, apostou num toureio com mais ‘verdade’ e menos adornos citou de frente e cravou com arte, mas o público aplaudiu com menos força. Os ladeios voltaram, bem como as piruetas e aí os aplausos soaram mais alto. Dois ferros muito aplaudidos não tiveram cite. Terminou com um par de palmitos e apeou-se de seguida. Actuação muito aplaudida. A passagem de Pablo por Portugal encheu o coração aos apaixonados pelo rejoneio.

João Moura Jr chegou com muitas ganas, o primeiro que lidou tinha 490kg. Deixou a ferragem comprida da ordem de forma correcta. Esteve bem na brega. Cravou com emoção e rematou ladeando o toiro. Andou regular nos curtos, numa lide agradável e aplaudida. Terminou com um rosa de excelente nota. No segundo, o mais pesado que saiu à arena lisboeta, de 560kg mas manso, Moura Jr. deixou dois compridos. Seguindo-se uma série de curtos aplaudidos. 
Destaco o 4º que cravou, de alto a baixo. Citou de frente, e, na maioria das vezes, bateu ao piton contrário. As sortes resultaram emocionantes. Fechou a noite com duas rosas.

No que toca às pegas, por Évora foram caras: Gonçalo Pires que consumou à primeira tentativa; João Pedro Oliveira que concretizou à segunda e o cabo António Alfacinha que efectivou ao primeiro intento. 

Pelo Aposento da Moita pegou o cabo José Pires da Costa à primeira tentativa em que ‘encheu’ a cara do toiro; José Maria Bettencourt igualmente à primeira depois de ter dobrado José Maria Águas que após ter falhado duas tentativas se lesionou e Nuno Inácio que efectivou à terceira com as ajudas carregadas. 

Dirigiu a corrida Sr. Manuel Gama.

Lisa Valadares


TAG