Fotográfia

[Reportagem Fotográfica][twocolumns]

Main Tags

About Us

There are many variations of passages of Lorem Ipsum available, but the majority have suffered alteration in some form.

Comments

{getWidget} $results={3} $label={comments} $type={list}

Uma tarde interessante na Moita.

Perante meia entrada lidaram um interessante curro de toiros da Ganadaria Ernesto Castro os cavaleiros Joaquim e Marcos Bastinhas, Tomás e Duarte Pinto e Rui Salvador e Sónia  Matias. Amadores do Ribatejo e Aposento da Moita, encarregaram-se das pegas.

Joaquim Bastinhas abriu a tarde frente a um complicado toiro, que não se movia,  e quandi o fazia era com perigo. Uma actuação regular. Pegou a primeira o forcado João Guerreiro do grupo do Ribatejo numa função vistosa. Volta para ambos.


O segundo toiro da corrida, nada teve a ver com o anterior e saiu diaposto a investir.  Um toiro com transmissão, e  com mobilidade com o senão de nos últimos ferros curtos ter fugido para os curros, mas no entanto saía de lá com enorme facilidade.  Rui Salvador entende-o e teve uma actuação de muito mérito e verdade, pena o forte toque que sofreu no penúltimo ferro que não pernitiu o redondear de uma grande actuação. Leonardo Mathias do Aposento da Moita pegou de forma rija à terceira tentativa, depois de nas duas anteriores não ter estado bem.

A Sónia Matias, calhou-lhe a "fava", um toiro sem opções,  que não tinha mobilidade e adiantava-se uma barbaridade ao cavalo. Sónia cumpriu, e foi autora de dois grandes ferros compridos.  João Machacaz do Ribatejo pegou a primeira com extrema eficácia.

Marcos Bastinhas veio para triunfar e as coisas resultaram,  frente a um toiro que transmitia muito. Começou bem nos compridos,  e teve a sua actuação o epílogo quando encontrou as distâncias do toiro e cravou 4 ferros a câmbio que causou muito impacto no público.  Termi ou com um palmp e o habitual par a duas mãos.
Francisco Baltazar do Ap. Moita pegou correctamente ao segundo encontro após ter saido por baixo na tentativa anterior.

Duarte Pinto esteve muito correcto frente ao oponente que lhe tocou, um toiro com qualidades, mas com marcada crença nos médios.  Muito inteligente Duarte na forma como o lidou.
Mário Gonçalves do grupo do Ribatejo pegou a segunda.

Tomás Pinto, veio por todas, e prova disso foi a empolgante sorte de gaiola com que começou a lide, depois de uma espera enorme no meio da praça para que o toiro saísse.  Nos curtos veio a menos, embora seja dele o ferro da tarde. O toiro fugia deliberadamente para as tábuas o que complicou o labor.
José Maria Bettencourt encerrou a tarde pelo grupo da terra com uma pega plena de técnica e emoção

Bernardo Prates