Duelo de dinastias terminou com um empate. - Carregar a Sorte

Post Top Ad

domingo, 22 de junho de 2014

Duelo de dinastias terminou com um empate.

A empresa Tauroeste, agora responsável pela praça das Caldas da Rainha, levou a cabo na passada sexta-feira um ‘histórico’ mano-a-mano. Com 3⁄4 de casa, os ‘pupilos’ da dinastia Moura e Ribeiro Telles defrontaram-se na arena do oeste.

Estavam anunciados toiros Passanha, Pinto Barreiros e Canas Vigouroux. Os dois de Pinto Barreiros foram substituídos por dois Alves Inácio.

Pegaram os Amadores de Santarém e das Caldas da Rainha.

Abriu praça João Moura Jr. frente a um Passanha de 555kg com pouca cara. De saída ‘aguentou’ voltas ao redondel que foram muito aplaudidas. Deixou dois compridos de forma a ‘provar’ as condições do Passanha. Nos curtos fez bem feito. Moura Jr., andou ao estilo que já habituou os aficionados, entre ladeios e tiras andou inspirado e com ganas. Viu-se um toureio com menos floreados e mais verdade. Terminou a lide do primeiro com uma rosa. 
No segundo que enfrentou as coisas não foram nada fáceis. Saiu em ‘sorte’ um Alves Inácio de 560kg de boa apresentação, mas distraído, pouco colaborante, parado, mas perigoso (e que o diga a quadrilha de Moura Jr.). Deixou dos compridos, e dois curtos depois de várias passagens em falso, faltando muito toiro no momento da reunião. O terceiro que teve por diante foi um Canas Vigouroux que acusou 490kg que veio de menos a mais. Recebeu sem bandarilheiros na arena o toiro que lhe deu o seu maior triunfo, seguindo-se dois compridos. Nos curtos foi ‘para cima do toiro’, em sortes cingidas cravou de forma correcta. O público aplaudiu de pé a actuação de Moura Jr.

João Ribeiro Telles Jr. iniciou a ‘função’ com um Passanha de 550kg distraído, com pouca pata e que descaiu para tábuas. Recebeu à porta gaiola aguentando duas voltas ao ‘ruedo’. 
Deixou dois compridos e mostrou as ganas com que foi às Caldas. Nos curtos, com algumas dificuldades em sacá-lo de tábuas teve de resolver as coisas indo ‘para cima’ do oponente e tirar o máximo partido do mesmo. Andou regular na ferragem curta. O segundo, um Canas Vigouroux de 480kg com mobilidade, possibilitou a Telles Jr. aplausos de pé. O ginete da Torrinha deixou três compridos de modo a ‘analisar’ o oponente. Nos curtos viu-se uma brega de excelência, com técnica de ‘torería’. A cravar bateu ao piton contrário e fez bem feito. 
Andou alegre e a emoção chegou às bancadas. O que ‘fechou’ a noite foi um Alves Inácio de 530kg que, embora um pouco distraído, permitiu que Telles Jr. andasse a gosto. Cumpriu na ferragem comprida. Nos curtos andou ao seu estilo, citou de praça a praça, bateu ao piton contrário e cravou com raça. De novo, viu-se uma brega ajustada e de valor. Andou toureiro e inspirado. Terminou com um palmito.

No que toca à forcadagem, por Santarém foram caras João Grave que consumou à terceira tentativa, Rúben Giovetti que concretizou um pegão à primeira com uma grande primeira ajuda, e Salvador Ribeiro à terceira.

Pelos Amadores das Caldas, as pegas foram concretizadas por intermédio dos forcadosAntónio Cunha que efectivou ao primeiro intento, Mário Cardeira ao quarto, com o toiro a ensarilhar forte, e Hugo Soares ao primeiro uma pega rija.

Há ainda duas coisas que quero referir. Positivamente destaco o facto de tudo ser anunciado aos microfones da praça (peso do toiro, número e ganadaria; nome do toureiro e a quem se dirigia o brinde e nome do forcado da cara, bem como o grupo pertencente). Negativamente refiro ao estado do ‘areal’.

Sem precisar de ir a prolongamento, o mano-a-mano terminou com um empate.

Dirigiu com acerto o Sr. Francisco Calado.

Lisa Valadares Silva