Noite sonhada para alternativa de Miguel Moura.

Corrida Correio da Manhã, Alternativa de Miguel Moura, vários festejos numa só corrida de toiros. Foi assim no passado dia 17 na Praça do Campo Pequeno.

Cartel puro alentejano: João Moura, Joaquim Bastinhas, Marcos Bastinhas, Miguel Moura; grupo de forcados amadores de Portalegre, Monforte e académicos de Elvas; seis toiros Passanha.

O público preencheu 3⁄4 de casa. Grande parte vindo de terras alentejanas para aplaudir os seus conterrâneos.

Os toiros que saíram à arena lisboeta foram cumpridores e deixaram-se, desligando-se a partir de certo ponto, descaindo para tábuas. Os Passanha foram homogéneos na apresentação, muito em tipo da ganadaria.

João Moura deu a alternativa ao seu filho Miguel Moura, pai e filho de casaca de igual.Testemunharam Joaquim e Marcos Bastinhas.


Depois das ‘cerimónias’, abraços, palavras, saiu o primeiro Passanha da noite, o toiro do ‘doutoramento’ de Miguel Moura de 590kg. Miguel esteve bem a receber, deixando de forma correcta a ferragem comprida. Andou entusiasmado, com bonitos cites, quis dar vantagens ao toiro, as coisas resultaram bem nos primeiros curtos, remantando com ladeios. Depois acusou o peso da responsabilidade e, talvez, algum nervosismo, os últimos curtos foram deixados em sortes muito aliviadas. Terminou com rosas aplaudidas. Doutorou-se! A dinastia Moura tem continuidade na festa dos toiros. Vamos Miguel!

João Moura lidou o segundo que acusou 592kg. Talvez a melhor lide da noite. Deixou de forma correcta a ferragem da ordem. Nos curtos, ao estilo ‘mourista’, com ladeios e adornos, deixou bons curtos, destaco o quarto que cravou. O toiro veio a menos e o cavaleiro rematou com uma rosa.



Seguiu-se Joaquim Bastinhas que enfrentou o Passanha de 572kg. Nos compridos cumpriu,trocou de montada após a colocação do primeiro ferro. Parece não passar de moda, com um toureio alegre que, facilmente chega às bancadas, e entusiasmado empenhou-se por fazer bem feito, e assim foi nos curtos. Terminou, como é seu apanágio, com um par de bandarilhas, este em terrenos apertados, apeando-se de seguida.

A primeira parte da corrida terminou com a lide de Marcos Bastinhas que teve pela frente o mais pesado da corrida, de 610kg. Deixou a ferragem comprida de forma correcta, aguentando a esperar o toiro. Nos curtos, optou por um toureio mais vistoso, um toureio de adornos. Apostou nas batidas ao piton contrário descurando os remates. Terminou com a assinatura Bastinhas, bandarilhando a duas mãos.

Depois do intervalo, as lides a duo. Mouras (enfrentaram o Passanha de 564kg) vs. Bastinhas (saiu-lhes em sorte o Passanha de 540kg). As lides a duo têm pouca história. Ferros atrás uns dos outros. Ambas as lides de grande ligação entre cavaleiros, onde pareceu que os pais quiseram deixar os seus ‘pupilos’ brilharem.

No que aos forcados respeita, foram caras pelos amadores de Portalegre: Ricardo Almeida que consumou à primeira tentativa, e Nélson Batista que efectivou igualmente ao primeiro intento com uma grande primeira ajuda. Por Monforte, foram caras: Nuno Toureiro que concretizou à primeira tentativa, e Vítor Carreira também à primeira. Pelos académicos de Elvas estiveram na linha da frente Joaquim Forte que consumou ao segundo intento e Paulo Barradas também ao segundo intento.

No fim, o ganadero foi chamado à praça.

Dirigiu a corrida o sr. Manuel Gama.

Lisa Valadares Silva
TAG