Seis Rio Frio, um Passanha, quatro cavaleiros e um grupo de forcados.


Seis Rio Frio, um Passanha, quatro cavaleiros e um grupo de forcados. Foi assim no Montijo no passado dia 28.
O curro, esse foi do agrado do público e do aficionado, mas pediu toureiros. 




Abriu a noite Luís Rouxinol com uma lide acertada frente a novilho que veio de menos a mais. 
Destaque para a brega e para a ferragem deixada de praça a praça. O segundo que enfrentou pediu contas. Algumas passagens em falso e os assobios a surgirem. Emendou-se e fechou em melhor tom.



Gilberto Filipe, no dia da celebração dos 10 anos de alternativa, levou a cabo uma grande lide no seu primeiro toiro, deu preferência às batidas ao piton contrário e saiu por cima do oponente. O segundo que enfrentou saiu com pata, mas veio de mais a menos, mas Gilberto Filipe entendeu o que tinha por diante e, com ganas, foi aplaudido forte.


Manuel Lupi, recebeu o primeiro à porta gaiola e foi bonito de ver as voltas ao ruedo que o cavaleiro ‘aguentou’ logo de saída. O toiro veio a menos, mas Manuel Lupi cumpriu com a matéria prima que teve por diante. A segunda lide foi de qualidade e de entrega, frente a um toiro reservado e que faltava no momento da reunião.


Mara Pimenta toureou o Passanha. Fez bem feito e por fazer como mandam as regras. Ligada ao público e ao oponente, as bancadas do Montijo aplaudiram.

Com uma ‘encerrona’ dos Amadores do Montijo, foram caras: Ricardo Almeida que consumou ao primeiro intento uma pega rija; Ricardo Parracho igualmente à primeira tentativa; Manuel Carlos, que pegou o Passanha, consumou à segunda tentativa; João Damásio também ao primeiro intento; Ricardo Figueiredo concretizou à primeira e Isidoro Cirne à primeira também.
TAG