Tarde de Ribeiro Telles.

Dia 17 o clã da Torrinha ‘aterrou’ na Praça de Coruche. Bonita moldura humana para ver os que estavam a ‘jogar em casa’. António, Manuel e João Ribeiro Telles pela primeira vez em solitário em Coruche. Seis Pinto Barreiros e para os pegar, num acto de valentia e galhardia, o Grupo de Forcados Amadores de Coruche.

O curro apresentado foi de irrepreensível apresentação, como é apanágio da ganadaria. Ainda assim, alguns, ficaram a desejar em comportamento e transmissão.
Abriu a tarde António Ribeiro Telles que lidou um exemplar que deu sinais claros de mansidão e de escassa força. A mestria de António fê-lo deixar três compridos, e andar com muita correcção nos curtos. Brega de mérito numa lide abrilhantada por música. O segundo que teve pela frente foi de melhor tom. Na ferragem comprida andou com alguma irregularidade, mas a lide a vir a mais com os curtos, sendo que os últimos dois foram de grande qualidade. António Telles deixou a ferragem como mandam os ‘cânones’ taurinos. Citou de frente, cravou de alto a baixo e ao estribo.

Manuel Ribeiro Telles Bastos está a fazer uma temporada de grande nível, ainda assim não foi das melhores tardes que lhe vi. Começou por receber em sorte gaiola um exemplar que transmitia pouco. Deixou três compridos para ‘provar’ o Pinto Barreiros. É bonito de ver a classe e a torería deste jovem cavaleiro. Exímio equitador, fez por andar correcto, mas nem sempre correu de feição. Ainda assim, deixou curtos de grande nota em sortes à tira. O segundo foi de investida suave mas depressa ‘estacionou’ à porta dos cavalos. Cavaleiro e peão de brega esforçaram-se para o sacar de tábuas. Dadas as condições do oponente, Manuel Telles Bastos teve de cravar alguns curtos a sesgo. Pode não ter sido a tarde sonhada, mas ainda assim ficam bons momentos e detalhes. Cites frontais, e curtos deixados ao estribo.

João Telles Jr, no primeiro que toureou andou ao seu estilo, diferente do tio e primo com quem compartilhava cartel, deixando dois compridos. Andou regular nos curtos e terminou a sua lide com uma rosa a aguentar a investida do toiro, muito bem! João Telles Jr chega com facilidade às bancadas, e desta vez não foi excepção. No que fechou a tarde, João Telles Jr levou a cabo a lide mais aplaudida da tarde. Recebeu, correctamente, à porta gaiola, e andou a gosto e com ganas. Exerceu a ‘função’ de forma ritmada e ligada ao público que culminou com dois violinos e um palmo. O público exigiu em uníssono mais um, e o cavaleiro ‘fez a vontade’ e deixou mais um violino de boa nota.

Em tarde de ‘encerrona’ a primeira da tarde foi concretizada ao primeiro intento pelo forcado Miguel Ribeiro Lopes. Depois Pedro Galamba consumou igualmente ao primeiro intento uma boa pega. A terceira pega da tarde foi efectivada à segunda tentativa por Miguel Raposo. Luís Gonçalves concretizou à quarta tentativa uma pega complicada. Despediu-se Pedro Crespim e efectivou à primeira tentativa. José Marques fechou a tarde com uma pega à segunda.

Pessoalmente, criei muita expectativa em relação à tarde de toiros em Coruche. Tudo se conjugava para que fosse uma inesquecível tarde. Casa quase cheia, toureiros com provas dadas e ganadaria de ‘renome’. Colocar a culpa no toiro é fácil... Não houve a bravura expectável. Ficam bons momentos de uma tarde que poderia ter sido melhor. ‘Corrida de expectación, corrida de desilusión’...

Dirigiu a corrida o Sr. Lourenço Luzio.


Lisa Valadares Silva
TAG