A mista de Vila Franca. - Carregar a sorte

terça-feira, 7 de outubro de 2014

A mista de Vila Franca.


Realizou-se no passado dia 5 a corrida mista da feira anual de Outubro em Vila Franca de Xira.
Bancadas preenchidas, tarde soalheira de outono e ingredientes para que fosse uma boa tarde de toiros. 8 toiros da ganadaria Palha, dois cavaleiros de alternativa, dois grupos de forcados e dois matadores.


Acredito que os Palha tenham sido, também, um factor atractivo e justificativo da afluência de público à castiça Palha Blanco. Há que referir que o curro não primou pela apresentação, nem bravura. De melhor qualidade foi o que saiu em sétimo lugar.

Manuel Ribeiro Telles Bastos foi o primeiro a tourear e abriu a tarde com um exemplar que acusou 575kg. Recebeu em sorte gaiola e ouviram-se os primeiros aplausos. Deixou três compridos para perceber o que tinha o Palha para ‘dar’. Quando saiu para cravar os curtos, o Palha começou a descair para tábuas. Telles Bastos teve mérito ao conseguir sacá-lo dos terrenos donde ‘teimava’ em não sair. Terminou com o melhor ferro desta lide. O segundo que teve por diante tinha 505kg de peso e foi nobre. Andou dentro daquilo que apelidam de ‘toureio clássico’. Cravou três compridos e nos curtos primou pela correcção. Pode não ter sido a lide mais aplaudida, pode não ter feito o público levantar-se, mas foi uma lide de verdade e onde deu importância a tudo. Não descurando o momento da reunião e o essencial remate das sortes. Cravou de alto a baixo e ao estribo. Telles Bastos é exímio equitador e há toda uma classe que lhe é inerente e é bonito de ver.

Marcelo Mendes mostrou que não estava lá para ‘brincadeiras’ logo de início quando esperou o Palha à porta gaiola e o levou na garupa do cavalo até parar. O exemplar de 465kg e escassa apresentação ‘permitiu-lhe’ uma lide ligada e com ritmo. Deixou a ferragem comprida da ordem e nos curtos tentou com que a emoção chegasse às bancadas. Tentativa bem sucedida. 
Desenhou sortes visualmente espectaculares. No segundo, a Palha Blanco rendeu-se. O oponente, de 540kg, deixou-se. O cavaleiro andou a gosto e ligado com as bancadas, recebeu as mais calorosas ovações depois de ter deixado uma série de curtos em que foi ‘para cima’ do toiro e onde fez por não faltar emoção. A correcção na colocação da ferragem não foi prioridade para Marcelo Mendes, mas numa Palha Blanco em festa, deu-se descanso ao cimento e aplaudiu-se de pé. O cavaleiro leva, certamente, boas recordações da tarde de toiros em Vila Franca.

No toureio a pé, Sanchez Vara iniciou funções com um Palha de 485kg. Recebeu com uma larga cambiada de joelhos na arena, depois lanceou por verónicas e rematou com uma meia. Bandarilhou de forma diversificada, resultando em três pares que, visualmente, causaram ‘sensação’. Na muleta, viu-se pouco a mão da verdade, ficando alguns detalhes com a direita. Aquele que saiu em sétimo lugar foi bom. Acusou 485kg e metia em condições a cara na muleta e humilhava. Recebeu-o, tal como o primeiro, com uma larga cambiada de joelhos, depois por verónicas e chicuelinas rematadas com meia. Nas bandarilhas fez ‘aquecer’ as bancadas. Entre outros adornos, sacou da cadeira e cravou a quiebro, um dos pares. Na muleta houve mais entrega que no primeiro toiro. De destacar uma série pelo piton direito. Ouviram-
se sentidos olés das bancadas e ainda teve direito a cantares flamencos de um individuo entusiasta.

Nuno Casquinha, de volta à ‘sua’ praça, começou por tourear um Palha de 455kg de escassa força o que condicionou desde logo a sua faena. Recebeu por verónicas rematadas com uma meia. Na muleta, foi notório a falta de força do toiro, faltando-lhe mãos por diversas vezes. 
Mesmo sem matéria-prima em condições, Nuno Casquinha sacou alguns bons muletazos. 
O que fechou a noite tinha 450kg e fraca apresentação. Foi brusco e de curtas investidas. 
Nuno Casquinha não teve tarefa fácil e esforçou-se por lhe ‘arrancar’ a faena possível. Valeu o esforço e tem mérito por isso mesmo, mas decerto que não foi a tarde sonhada.

No que toca às jaquetas de ramagens, em praça estiveram os grupos de forcados amadores deVila Franca de Xira e Coruche. Foi uma tarde ‘limpa’ para os forcados.

Por Vila Franca, os Farias resolveram à primeira. António Faria pegou o primeiro, mostrando que tem braços para abraços valentes e Francisco Faria encheu bem a cara ao toiro na terceira pega da tarde.

Por Coruche, José Marques consumou à primeira tentativa uma boa pega e o cabo Amorim Ribeiro Lopes concretizou também à primeira uma pega rija. 

Dirigiu a corrida o Sr. Rogério Jóia. 

Lisa Valadares Silva


Comments
Notification
This is just an example, you can fill it later with your own note.
Done