Festival de homenagem a Ernesto Manuel. - Carregar a Sorte

Post Top Ad

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Festival de homenagem a Ernesto Manuel.

No passado dia 19, foi levado a cabo na centenária Palha Blanco um festival de homenagem ao recém retirado bandarilheiro Ernesto Manuel. Com apenas três sectores para preencher, a praça registou cerca de meia entrada.

António Ribeiro Telles abriu a tarde com um Passanha que se deixou. Realizou uma lide que, como é seu timbre, primou pela correcção. Deixou três compridos, e nos curtos citou de frente e cravou de alto a baixo. Sendo de destaque o penúltimo curto.


A Francisco Núncio coube lidar um exemplar de João Ramalho que saiu feio de tipo e adiantar-se nas reuniões. Protagonizou uma lide regular, sem grandes apontamentos. Apostou nas tiras e ‘coisa’ até funcionou. 


Ana Batista lidou o Santa Maria que não permitiu nada. Era manso e a cavaleira pouco pôde fazer. Sem ovos não se fazem omeletes. Para Ana Batista foi uma tarde sem história, ainda assim de melhor qualidade foi o segundo curto.


João Telles Jr. foi o que esteve em melhor plano. Lidou um Vinhas curto de mãos mas que ‘serviu’ bem para a função. Realizou uma lide de qualidade e entrega. A ligação às bancadas foi evidente. Digno de destaque é o segundo curto. Terminou com dois palmitos.


Salgueiro da Costa toureou o São Torcato. Esteve bem na brega mas pouco mais. Foi uma lide com poucos motivos de interesse. 


As lides a cavalo terminaram com a actuação de Francisco Parreira. O jovem cavaleiro mostrou ter vontade. Lidou um ‘colaborante’ Canas Vigouroux. Deixou-lhe três compridos e nos curtos mostrou desembaraço. De melhor qualidade foi o segundo. Andou ligado ao público.


O toureio a pé esteve a cargo do novilheiro praticante e aluno da Escola de Toureio José Falcão, João Martins. Recebeu o Falé Filipe por verónicas e chicuelinas. Pedro Noronha, também aluno da mesma escola de toureio, foi ao quite, dando ao novilho lances de qualidade. Martins bandarilhou de forma exuberante. Na muleta, o novilho pela esquerda ia bem. O novilheiro aproveitou este facto sacando-lhe umas séries de alguma qualidade. Apesar das fortes ovações, aos meus olhos, ainda há que melhorar.


As pegas estiveram a cargo de dois grupos conceituados: Santarém e Vila Franca de Xira.


Por Santarém, foram caras: Fernando Montoya que consumou à terceira tentativa com ajudascarregadas, António Gois ‘limpou’ ao primeiro intento e Bernardo Bento que se fechou, e bem, à primeira tentativa. 


Por Vila Franca de Xira, Nuno Vassalo bateu palmas e efectivou à primeira, Francisco Faria à terceira e Vasco Pereira consumou ao primeiro intento uma boa pega.


No fim do festival, Ernesto Manuel foi ‘passeado’ em ombros na arena da ‘sua’ praça. Um momento bonito que, certamente, lhe ficará na memória.


‘Querido’ Ernesto Manuel, as memórias não esquecerão, os corações guardarão. Obrigada por fazer/ter feito parte da festa dos toiros. Obrigada! Toureiro de ‘prata’ que vale ‘ouro’.


De notar o contributo da União das Freguesias de Alhandra, São João dos Montes e Calhandriz que adquiriu cerca de 100 bilhetes para que admiradores e conterrâneos de Ernesto Manuel pudessem estar presentes na sua merecida homenagem. 


Taxto e Foto:Lisa Valadares Silva