É preciso uma segunda volta.

No passado dia 3 recriou-se um cartel no Campo Pequeno e tentou-se que voltassem à nossa festa aquelas ‘parelhas’ que enchem praças e fazem vibrar, daquelas que movem multidões e fazem de tudo para superar o ‘parceiro’ e quem ganha é o que se senta nas bancadas. Podia ter sido assim, mas…
Um mano a mano que há mais de 30 anos foi protagonizado por João Moura e João Ribeiro Telles, na passada quinta-feira calhou aos seus descendentes: Moura Jr e Telles Jr. Os grupos de forcados foram os mesmos: Santarém e Montemor, uma rivalidade antiga.
Três ganadarias: Charrua, Pinto Barreiros e Murteira Grave. De destacar positivamente o primeiro Charrua e o segundo Grave, o que fechou a noite.
Moura Jr foi o primeiro e abriu a noite com um exemplar de Charrua, de 550kg, que investiu como se quer. A forma como bregou foi aplaudida e, sem dúvida, exímia. Recortou-se e cravou de forma empolgante. O segundo pertencia à ganadaria Murteira Grave e acusou 526kg, tinha arreões de manso, mas humilhou nos capotes. O cavaleiro não teve tarefa fácil, o Grave era sério e complicado, mas mesmo assim esteve bem por cima do oponente, andando correcto e com acerto na escolha dos terrenos. Terminou em bom tom com um palmito. Encerrou a função com o Pinto Barreiros de 512 kg que recebeu em sorte de gaiola. A colocação da ferragem curta foi irregular – algumas passagens em falso. Ainda assim a lide veio a mais e terminou em grande plano com uma série de palmitos de violino que colocaram a aficion em pé!
Telles Jr começou com o exemplar de Pinto Barreiros que tinha 545kg, ‘falhava’ por se adiantar nas reuniões. Acentuadas batidas fizeram as delícias do público. Culminou com um palmito. O segundo era de Charrua e acusou 562kg mas de pouca transmissão. Telles Jr andou correcto com o oponente que lhe calhou em sorte, terminando com um violino e um palmito aplaudido. O último veio de Galeana e foi bravo, acusou 502kg. Não querendo ficar para trás, e assim é nos ‘mano a mano’, Telles Jr recebeu o último com uma empolgante porta gaiola. Algumas passagens em falso contrastaram com grandes momentos de toureio. O penúltimo curto foi uma ‘delícia’! Fechou a noite com um violino.
Pelos Amadores de Santarém, Luís Sepúlveda foi à cara do primeiro e fechou-se com decisão à segunda tentativa. Lourenço Ribeiro pegou o terceiro da noite ao primeiro intento, realizando uma correcta pega. Encerrou a prestação dos de Santarém, João Brito que efectivou à segunda tentativa.
Pelos Amadores de Montemor, Francisco Borges foi o primeiro a bater palmas e consumou à primeira tentativa. Seguiu-se João da Câmara que concretizou ao segundo intento. Fechou a noite Frederico Caldeira que viajou sobre o piton direito mas que depressa se recompôs na cara do toiro, terminando em chave-de-ouro concretizando à primeira tentativa.
Na minha memória ficam alguns momentos, não uma lide. Mas também é de momentos que se faz a festa. Ainda assim é difícil eleger um vencedor. Tem de haver uma segunda volta, porque este primeiro ‘round’ terminou empatado.
Moura será sempre Moura, mas Telles também será sempre Telles. Os dois ainda têm muito para dizer na nossa festa! Que se ‘apimente’ esta dupla!
Dirigiu a corrida o Sr. Pedro Reinhardt.

Lisa Valadares Silva
TAG