Novilhada de 24 de Setmebro no Campo Pequeno.

Francisco Parreira é um dos mais jovens cavaleiros praticantes. Realizou a sua prova de praticante em Maio deste ano, na novilhada da feira da Ascensão, na Chamusca. Apresentou-se em público como amador, no Montijo, em Fevereiro de 2013.
Tem como grandes referências do toureio a cavalo António Ribeiro Telles e Joao Salgueiro.
“O meu estilo baseia-se nos clássicos, embora procure dar-lhe uma interpretação própria, pessoal”, assim define Francisco Parreira o seu estilo enquanto cavaleiro tauromáquico.
Encarando a sua apresentação na próxima quinta-feira, no Campo Pequeno, como “um enorme desafio, pois o sonho de qualquer toureiro é pisar a arena da primeira praça do país, mas no meu caso a responsabilidade ainda é maior, pois sou cavaleiro e o Campo Pequeno é, justamente, considerada a Catedral Mundial do Toureio a Cavalo”.
“Vou lá para triunfar!”, conclui o jovem cavaleiro que, nessa noite alternará com “Parreirita Cigano”, outro jovem valor a despontar no panorama tauromáquico português.
Em recentes declarações à revista Flash, “Parreirita Cigano”, disse, a propósito da novilhada de quinta-feira: “Gostava de fechar a temporada com chave de ouro. Chegar ao Campo Pequeno e ‘armar um taco’, chagar lá e por aquilo tudo doido”.
Vem com a ambição de triunfar e promete dar o máximo, embora remeta para o toiro a necessidade de colaborar no desejo do artista. “Ser toureiro significa dar o máximo, mas só quando o toiro sair é que sabemos”, conclui.
A sua ambição é “alcançar o máximo e ser como o Pablo Hermoso, o Diego Ventura ou como foi o senhor Manuel Jorge de Oliveira”, cavaleiro que tem sido determinante na sua evolução artística.
A novilhada de quinta-feira no Campo Pequeno conta ainda com a participação do Grupo de Forcados amadores do Redondo, que comemoram 15 anos de actividade, e dos novilheiros portugueses Diogo Peseiro, aluno da Academia de Toureio do Campo Pequeno, triunfador em Portugal e João Silva “Juanito”, que esta temporada vem triunfando em Espanha.
Diogo Peseiro registou esta temporada importantes triunfos na Figueira da Foz, Arruda dos Vinhos e Aldeia da Ponte. Na Figueira da Foz, alternou, pela primeira vez com um matador de toiros, o espanhol Sanchez Vara, tendo completado o cartel os cavaleiros Luis Rouxinol e João Moura Júnior. “Foi a minha actuação mais marcante desta temporada, durante a qual estive sempre incluído em carteis de grande qualidade”.
“O compromisso de quinta-feira, no Campo Pequeno, é da máxima responsabilidade. Vou disposto a  redondear as duas lides, assim os novilhos me ajudem, pois eu estou mentalizado para dar o meu melhor”, refere Diogo Peseiro:
“Juanito”, aluno da Escola de Toureio de Badajoz, leva cerca de 30 novilhadas sem picadores toureadas esta temporada, em Espanha, com um balanço de 39 orelhas e 3 rabos cortados e o indulto de um novilho da ganadaria portuguesa de Murteira Grave. Lidado em Villa Nueva del Fresno.
“É para mim cumprir um sonho”, diz-nos “Juanito”, a propósito da sua presença nesta novilhada, acrescentando encará-la com a mesma responsabilidade com que encarou as suas duas actuações em Sevilha, esta temporada.
“A estreia no Campo Pequeno é um dia especial para mim. Vou lá para triunfar, pois quero ser figura do toureio”, acrescentou.

Lidam-se novilhos das ganadarias Passanha, Maria Guiomar Cortes Moura, David Ribeiro Telles, Varela Crujo, Murteira Grave e Canas Vigouroux.
TAG