Tarde de Sol e de bom toureio o 25 de Abril no Sobral.

Em Sobral de Monte Agraço a empresa organizadora predispôs-se a levar a cabo um festival misto para fazer aficionados, apresentando condições especiais nos preços dos bilhetes.  E a verdade é que a tarde resultou muitíssimo agradável e o público preencheu mais de meia casa.
O curro de Calejo Pires não defraudou e o ganadero deu três voltas concedidas pelo director de corrida.
David Gomes abriu a tarde com um novilho que se ‘deixou’ mas que protestava depois da ferragem. O maior destaque vai para o terceiro curto e para a brega meritória. O cavaleiro ligou-se ao público e ao oponente e encerrou a função com um ‘violino’.
O jovem Francisco Parreira evoluiu e é bom ver este crescimento de jovens toureiros. Num estilo próprio com alguma inspiração no ‘clássico’ e com uma facilidade tremenda em chegar às bancadas. O Calejo Pires não dificultou muito e Francisco Parreira andou a gosto e deu gosto ver.
Santarém foi o único grupo de forcados em praça e foram caras Francisco Graciosa e Luís Seabra que efectivaram ambos ao primeiro intento as duas pegas da tarde.
Seguiu-se o matador César Jimenez. Tocou-lhe em sorte o pior novilho da tarde, mas fica e entrega de Jimenez e uma tanda de bons derechazos. O português João Silva destacou-se no tércio de bandarilhas.
El Cordobez recebeu por verónicas a pés juntos e andou muito variado no capote com o Calejo Pires que foi premiou o ganadero com uma volta à arena. De notar um série de naturais.
O novilho que saiu em quinto lugar fez o ganadero saltar de novo à arena e desta vez para dar duas voltas à arena. Juan Leal esteve variado com o capote e no tércio de bandarilhas destacou-se o português Cláudio Miguel. A entrega, raça e crer de Juan Leal aliado às boas condições do novilho fizeram surgir na arena momentos de muita emoção, arte e risco, e o público desfrutou.
O mais recente matador de toiros português, Manuel Dias Gomes, fechou a tarde. Recebeu o novilho com uma larga cambiada e o Sobral gostou. O novilho saía solto e o jovem matador esteve muito por cima do oponente. Uma faena de muleta de muita qualidade que nem mesmo quando o novilho descaiu para tábuas veio a menos. Dias Gomes entregou-se e a raça do toureiro veio ao de cima e a tarde acabou em bom.
Tem Portugal matadores de toiros para o toureio a pé não ‘morrer’ em terras lusas? Tem sim! Tem Portugal aficionados ao toureio a pé? Claro que tem! Há corridas mistas? Poucas! Há corridas única e exclusivamente com toureio a pé? Muito poucas! Tenho pena…
Lisa Valadares Silva
TAG