Corrida mista do Colete Encarnado. - Carregar a Sorte

Post Top Ad

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Corrida mista do Colete Encarnado.

No passado domingo a Palha Blanco recebeu a tradicional corrida mista do Colete Encarnado e, este ano, também comemorativa dos 15 anos do Naturales – Correio de Tauromaquia. Pena que esta efeméride tivesse caído quase no esquecimento.

Foram lidados seis toiros da ganadaria David Ribeiro Telles. Todos com peso e apresentação de impor respeito.

António Ribeiro Telles é, sem dúvida, o toureiro da Palha Blanco. Toureou de casaca negra, sendo a primeira vez que aparece ao público após o falecimento de seu pai, Mestre David Ribeiro Telles. Dois toiros, duas lições. Com o que abriu a tarde, com crença na porta dos curros, o experiente cavaleiro resolveu e bem a papeleta e com uma brega de grande qualidade levou a cabo uma lide cheia de classe e correcção. Com o segundo o aroma que tinha deixado com a lide do primeiro intensificou-se. Uma lição de bom toureio, e não seria de esperar outra coisa. Destaque para o quarto curto deixado tal e qual como vem nos livros.

Moura Jr. teve uma tarde de prova. Não uma prova literal, mas a prova de ser aceite na Palha Blanco. E é uma prova difícil. Mas foi bem sucedido! Com o primeiro toureou com correcção, sem grandes alaridos, mas com aquilo que Vila Franca gosta de ver e aplaude: verdade. Apesar de ter contrastado com algumas passagens em falso. Com o segundo a prestação resultou mais discreta, sacou dos seus dotes de rejoneador para chegar com maior facilidade às bancadas, mas mesmo assim andou uns furinhos abaixo da primeira lide.

Manuel Dias Gomes apresentou-se pela primeira vez como matador em Vila Franca de Xira e fez o paseillo com um capote de passeio do malogrado matador José Falcão. Não foi decerto a apresentação sonhada, mas os toiros do seu lote em nada ajudaram para que fosse a tarde sonhada. Com o primeiro pouco se viu, pouco ficou na memória. O segundo era um ‘tio’. O toureiro deu o que tinha, viu-se raça, crer, entrega e garra. E só isso tem muito valor. Ficam bonitos detalhes de toureio de qualidade. Não me sai da memória um natural de Manuel Dias Gomes àquele exemplar de David Ribeiro Telles.

De destacar os pares de bandarilhas espetaculares deixados por Cláudio Miguel e João Ferreira que saudaram com a montera na mão.

O Grupo de Forcados de Vila Franca estava a jogar em casa e jogou bem. Rui Godinho consumou com decisão à segunda tentativa, Gonçalo Filipe efectivou com eficácia à primeira. Ricardo Patusco consumou à primeira aguentado a viagem com toiro com a cara em baixo. Foi a sua pega de despedida. Foram mais de 120 pegas e foi sem dúvida um momento de grande emoção. David Moreira consumou uma rija pega à segunda tentativa, com braços para aguentar os derrotes. De notar a coesão do grupo em todas as pegas.

A vida são dois dias, mas o colete são três. No próximo ano há mais!

Lisa Valadares Silva