50 anos de alternativa de Luís Miguel da Veiga. - Carregar a Sorte

Post Top Ad

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

50 anos de alternativa de Luís Miguel da Veiga.

A temporada vai a meio e o Campo Pequeno foi palco de mais uma noite de toiros. Com casa quase cheia, a noite foi para comemorar o 50º aniversário de alternativa de Luís Miguel da Veiga, cavaleiro que marca uma época e a tauromaquia no seu todo.
O curro da ganadaria David Ribeiro Telles saiu com peso, apresentação e todos andaram. Foi de melhor nota o que saiu em segundo lugar tendo os representantes da ganadaria sido premiados com volta à arena.
Salgueiro da Costa confirmou alternativa e levou a cabo uma lide que, comparativamente ao que lhe vimos este ano, mostrou evolução. A lide veio a mais e deixou três ferros em curto de muita qualidade.
Seguiu-se João Moura. Mestre é mestre e sempre será! Recebeu espectacularmente o exemplar que lhe coube em sorte e foi uma lide “à Moura”, batidas cingidas e grandes ferros. Pecou por prolongar em demasia e acabou por sofrer dois desnecessários toques na montada.
Seguiu-se Rui Salvador que teve por diante um toiro que acusou 641kg. Foi incomodo durante toda a lide. Uma lide de entrega e garra com destaque para o segundo curto que deixou.
António Brito Paes foi a Lisboa e tudo lhe correu de feição. Anda bem montado e isso faz a diferença. A ligação com o público e com o oponente foram uma constante, tal como a correcção na colocação da ferragem. Muito bom!
Manuel Telles Bastos toureou o quarto. Ao seu estilo, no seu clássico, na sua verdade. Três ferros que destaco, deixados como mandam as regras. Mesmo com qualidade a lide chegou pouco às bancadas resultando discreta a sua passagem por Lisboa.
A corrida seguiu em tom clássico com Duarte Pinto. Teve pela frente o exemplar menos bom e por isso a qualidade da brega foi fruto de sabedoria e entrega. A colocação da ferragem resultou com muita correcção.
Fechou a noite o praticante António Núncio que deixou bonitas pinceladas de bom toureio. Com erros próprios do estatuto que tem, mas suscitou interesse e vontade de ver mais.
A noite foi complicadas para os homens das jaquetas de ramagens. Pelos Amadores de Montemor abriu praça o cabo António Vacas de Carvalho que consumou à quarta tentativa, João Romão Tavares concretizou um pegão ao primeiro intento, Francisco Borges pegou com grande qualidade à primeira e Manuel Dentinho fechou a noite consumando à segunda.

Pela formação de Évora, João Oliveira consumou com garra à segunda tentativa, o cabo António Alfacinha foi à cara do quarto da noite mas caiu inanimado na arena tendo sido dobrado por Gonçalo Pires que efectivou à primeira. João Madeira foi cinco vezes à cara do sexto da corrida sem concretizar. Manuel Rovisco dobrou o seu colega e efectivou sem brilho.

Lisa Valadares Silva