“SANGRE IBÉRICO” NO CAMPO PEQUENO Do “Got Talent Portugal” para a “LII CORRIDA RTP” - Carregar a sorte

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

“SANGRE IBÉRICO” NO CAMPO PEQUENO Do “Got Talent Portugal” para a “LII CORRIDA RTP”

Os “Sangre Ibérico”, revelados ao público na última edição do “Got Talent Portugal”, actuarão no próximo dia 25, no Campo Pequeno, antecedendo a “LII Corrida da RTP”
Constituindo um dos mais interessantes projectos musicais surgidos em Portugal nos últimos tempos, são fortemente influenciados pelo flamenco, e pelo fado. Unem Portugal e Espanha na transformação de fados, e de música tradicional portuguesa, em rumbas flamencas, para além de escolherem, e arranjarem temas originais, e também em castelhano.
Servidos por músicos de excelência, possuem um dos melhores guitarristas do género a tocar em Portugal, e uma voz única, numa mistura de rouquidão, sensibilidade, alma e timbre. Os “Sangre Ibérico” são nesta altura apontados como uma das maiores revelações da música portuguesa, tendo já assinado um contrato de 3 anos com uma das maiores editoras do mundo, a Sony Music, e esperam-se para breves novidades ao nível discográfico.
Formaram-se em 2014, inicialmente só com voz e guitarra, André Amaro, e Alexandre Pereira, Cajon. Deram o seu primeiro concerto a 5 de Julho de 2014 em Vila Franca de Xira. Em Setembro de 2015, conhecem o terceiro elemento, Paulo Maia, o guitarrista que procuravam, para dar o toque final ao projecto ambicionado.
Os 3 jovens têm idades compreendidas entre os 21 e os 26 anos.
André Amaro, Voz e Guitarra, estranhamente só começa a cantar aos 20 anos, e foi a surpresa geral daqueles que inicialmente o escutaram, ficando desde logo impressionados com as qualidades vocais demonstradas. Sendo oriundo da Aldeia do Bispo (Sabugal, Guarda), sempre teve intenso contacto com a raia espanhola, o que se traduz agora num castelhano perfeito, que em muito beneficia as suas interpretações.
O Alexandre Pereira vem de Vila Franca de Xira, e o meio onde nasceu, e cresceu, despertaram-no para a música flamenca. Tendo desde muito novo começado a tocar, e a interessar-se pelo “Cajon”, é hoje um dos mais interessantes executantes deste instrumento. O Paulo Maia foi o impulsionador da participação no “Got Talent Portugal”, decisão que tem vindo a revelar-se a mais acertada que o grupo tomou, pois as intenções iniciais do Guitarrista eram, exactamente, as de poderem publicamente, e num programa de enorme visibilidade, mostrar o seu talento, o que veio a confirmar-se.
Paulo Maia é natural de Setúbal, e desde novo assistia a momentos musicais com indivíduos de raça cigana, aí começando o seu interesse, quer por este género musical, quer pela guitarra clássica. Acreditando no seu sonho, ruma a Barcelona para aprender a tocar o instrumento por que se apaixonara. Volta mais forte, mais capaz e sobretudo muito melhor executante.
E estes são, e assim se formaram os “Sangre Ibérico”, provavelmente o melhor projecto musical surgido em Portugal nos últimos tempos!

A actuação dos “Sangre Ibérico” antecederá (21h45) a corrida na qual participam os cavaleiros António Telles, Luis Rouxinol e Marcos Bastinhas e os grupos de forcados amadores de Santarém e do Aposento da Moita capitaneados, respectivamente por João Grave e José Maria Bettencourt, que se estreiam no Campo Pequeno, na chefia dos respectivos grupos. Será lidado um imponente curro de toiros de Murteira Grave.
Comments
Notification
This is just an example, you can fill it later with your own note.
Done