Gonçalo Nuno Lagem - Sobre os 40 anos de alternativa de João Moura

Quando falamos de João Moura, falamos obviamente de Monforte. Foi assim que João Moura sempre quis que fosse.
É inquestionável que houve um toureio a cavalo antes de João Moura e há um toureio a cavalo depois de João Moura. Ele introduziu há 40 anos, quase tudo, o que de inovador há, ainda hoje, na arte de Marialva. As bregas bem ligadas, as sortes apertadas, a batida ao pitón contrário, o ladear, os remates dos ferros, as vantagens ao toiro, a emoção, o risco e toreria. O menino de oiro de Monforte, filho de um grande cavaleiro, sobrinho de um ganadeiro de excelência, João Moura pai e António Benito Moura, respectivamente, legaram-lhe metade dos ensinamentos necessários para ser a referência que é hoje João Moura no Mundo do toureio a cavalo. A outra metade, foi inequivocamente dele. A vocação, a genialidade, a paixão e o trabalho árduo em cima das montadas, foram os restantes factores que justificam o sucesso da carreira do João António.
Pelo seu amor à terra, foi sempre a Monforte, que o João António regressou, e onde tem o seu Porto de Abrigo. Toda a Sociedade lhe tem um enorme respeito, sobretudo pela humildade, que lhe é reconhecida, mesmo quando o mundo estava a seus pés e a sua carreira no auge. Ele foi sempre o mesmo. O nosso grande embaixador. O nosso querido menino João António.
Bem haja João, pelos seus 40 anos de alternativa e por ser o Monfortense de grande orgulho que é.

O Presidente da Câmara Municipal de Monforte

Gonçalo Nuno Lagem

Sem comentários