Descida do IVA abre portas à baixa de preços nos bilhetes das Touradas

Setor aponta inovação e modernização como estratégia a seguir
para ir ao encontro do consumidor do Século XXI

A descida do preço dos bilhetes para as corridas da próxima temporada  
taurina é uma das medidas em estudo por parte dos empresários do  
setor. A iniciativa ainda está em estudo, pela Associação Portuguesa  
dos Empresários Tauromáquicos, mas já foi avançada pelo próprio  
presidente da APET e da PróToiro, durante a Reunião Magna do setor.

A estratégia para a Tauromaquia foi, naturalmente, discutida e a  
conclusão não podia ser mais unânime: inovação e modernização para ir  
ao encontro do consumidor do Século XXI.

“A notícia da descida do IVA para 6 por cento ainda é recente. Há  
quatro anos, quando passou para 13%, os empresários suportaram o  
aumento. Agora, com a descida, ainda não decidimos como o fazer, mas  
uma coisa é certa – vai haver um impacto direto”, afirmou Paulo Pessoa  
de Carvalho, presidente da APET e da PróToiro, durante o encontro  
realizado esta quinta-feira.

Outras medidas apresentadas para dinamizar o setor dizem respeito à  
realização de um plano estratégico em 2019, que envolva todos os  
intervenientes tauromáquicos, com o objetivo de modernizar esta  
indústria cultural.

De forma a ir ao encontro do consumidor moderno, a PróToiro propõe-se  
concretizar um plano de digitalização do setor para modernizar a  
comunicação do mesmo e o reforço da aposta no Cartão Aficionado, que  
garante, entre outros benefícios, descontos na compra de ingressos.  
“Quando o consumidor fizer a sua pré-compra online, ele tem de  
encontrar todas as informações de que necessita. Quem não estiver na  
internet está fora do mercado, não existe”, explicou Hélder Milheiro,  
secretário-geral da PróToiro.

Durante a Reunião Magna foram ainda explicadas propostas que pretendem  
reforçar a capacidade de ação global do setor e de resposta às  
iniciativas antitaurinas. “Esta vitória da Cultura no Parlamento é um  
trabalho que tem de ser contínuo. Acreditamos que envolver os  
aficionados, revertendo para a defesa e promoção da Tauromaquia um  
valor simbólico – a definir, mas sempre inferior a 1 euro sobre o  
preço de um bilhete -, será um caminho decisivo nas batalhas que se  
seguem”, explicou Nuno Pardal, presidente da Associação Nacional de  
Toureiros.

Luís Capucha, presidente da Associação das Tertúlias Tauromáquicas de  
Portugal, manifestou a total apoio a esta iniciativa.

Todos estes temas ficarão fechados antes da próxima temporada, após  
serem discutidos e aprovados pelas respetivas associações.

Um dos momentos altos da Reunião Magna foi a participação de  
representantes dos grupos parlamentares que viabilizaram a inclusão da  
tauromaquia na descida do IVA na Cultura.

Sem comentários