Dou Graças a Deus por tourear a Corrida do Emigrante.

Estreou-se no Campo Pequeno a 8 de Agosto de 2013. Triunfou e foi repetido na corrida de enceramento da temporada. Voltou ao Campo Pequeno a 3 de Julho de 2014 para tomar alternativa, apadrinhado por Rui Fernandes, o seu mestre de sempre e com o testemunho de Diego Ventura. Novo triunfo! Jacobo Botero, um emigrante colombiano de sucesso, em Portugal, país que ele também ama por aqui lhe ter sido possível concretizar o seu sonho.
“O Campo Pequeno é a praça da minha vida!”, assim começou a conversa que entabulámos com Jacobo Botero, a propósito da sua participação na corrida de amanhã, no Campo Pequeno, a tradicional “Corrida do Emigrante” e que marca o seu regresso à primeira praça do país.
“Considero o Campo Pequeno a praça mais importante do mundo para cavaleiros e rejoneadores e entendo que o título de “Catedral Mundial do Toureio a Cavalo”, mais do que um slogan, é um título que lhe assenta totalmente e como a nenhuma outra.”
Jacobo diz dar graças a Deus por ter sido incluído na temporada do Campo Pequeno. “Esta corrida tem um especial significado para mim, pois eu também sou emigrante e dou graças a Deus por a empresa me ter convidado a integrar este cartel”.
Falando sobre os seus companheiros de cartel, Jacobo Botero considera tratar-se de um cartel de gente jovem e ambiciosa e expressou estima e amizade por todos aqueles que o integram. Contudo, alertou para o facto de que “a amizade que cultivamos não vai impedir a rivalidade que sempre tem de existir dentro da praça, onde tentamos ser sempre melhores que os nossos companheiros. Sei que o público vai aos toiros pela competição que o cartel proporciona e o que posso prometer para amanhã no Campo Pequeno é não defraudar aqueles que me forem ver. Sou amigo do Vitor Ribeiro e do Miguel Moura mas somos sempre rivais, temos uma compreensível ânsia de superação”.
Jacobo Botero teve ainda uma palavra especial para o grupo de forcados amadores do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, pelo magnífico momento que atravessa, e em especial para o seu cabo, Marcelo Lóia, “mas estou certo de que terá no grupo das Caldas da Rainha um competidor à altura”.

Quanto aos toiros, da ganadaria Maria Guiomar Cortes Moura, disse esperar que “proporcionem êxito a todos os intervenientes na corrida, como em tantas outras ocasiões tem acontecido”.
TAG