Assembleia Municipal de Lisboa aprovou voto de pesar pela morte de Joaquim Bastinhas


A proposta do voto de pesar partiu dos grupos municipais do CDS, PSD e MPT.

A Assembleia Municipal de Lisboa, que se realizou esta tarde, aprovou pela quase totalidade dos deputados municipais, um voto de pesar pela morte do cavaleiro Joaquim Bastinhas.
Votaram a favor o CDS, o PSD, o PS, o PCP, o PPM, 1 deputado do MPT, 8 deputados Independentes, num total de 66 dos 75 deputados municipais. Abstiveram-se 1 deputado do MPT, 2 deputados do PEV e 3 deputados do BE. Votaram contra 2 deputados do PAN, 1 deputado Independente. 
A proposta partiu da ação conjunta do CDS, PSD e MPT que propuseram um voto de pesar onde se refere que "Joaquim Bastinhas era apelidado, muitas vezes, como o “toureiro do povo”. A empatia que gerava com as bancadas, a alegria que transmitia em cada um dos momentos e a forma como chegava aos milhares de pessoas que o seguiam, notabilizou-o de forma ímpar.
França, México, Venezuela, Grécia, ou Macau, para além de Portugal e Espanha, vibraram, com o mágico momento do “par de bandarilhas” que Joaquim Bastinhas, como nenhum outro, celebrizou e eternizou na memória coletiva."
É ainda destacada a grande ligação de Joaquim Bastinhas com a praça de toiros de Lisboa, tendo este um "percurso centrado em Lisboa onde Joaquim Bastinhas se torna o cavaleiro de alternativa a somar mais actuações na arena do Campo Pequeno: 115 espetáculos, 104 como profissional e 11 como amador e praticante."
Este é mais um importante reconhecimento social da obra e legado de Mestre Joaquim Bastinhas, depois da aprovação de similares votos de pesar na Assembleia da República e várias autarquias. 
Joaquim Bastinhas faleceu um Lisboa, no dia 31 de Janeiro, no Hospital da Cruz Vermelha, vítima de uma infeção hospitalar, depois de uma operação. 
Foto créditos Wikipedia. 

Sem comentários