FOTOGRÁFIA

[Reportagem Fotográfica][bleft]

Casa Cheia de ( Frio ) Publico no Sobral de Monte Agraço.

O frio fez-se sentir ao final da tarde do passado Domingo dia 8 no Sobral de Monte Agraço. Nada chegou para aconchegar a aficion que ocupou cerca de ¾ (fortes) de casa. Nem casacos, nem toiros, nem emoção…


Em praça estiveram os cavaleiros Luís Rouxinol, Filipe Gonçalves e João Maria Branco. Pegaram os forcados Amadores de Vila Franca de Xira e Chamusca. No Sobral foi apresentado um curro do Eng. Jorge Carvalho.


Luís Rouxinol abriu a tarde frente a uma rés de 510kg com querença nos curros. Na ferragem comprida o cavaleiro teve duas passagens em falso, mas cumpriu. Com o toiro a descair para tábuas, ouviu música após o segundo curto e deixou a ferragem de forma correcta. Terminou com um palmo e a aficion aplaudiu. No seu segundo, um astado de 500kg com trapio e bisco, o cavaleiro de Pegões deixou bem a ferragem da ordem. Nos curtos, destaco o 2º em que parte recto para o toiro, bate ao piton contrário, crava ao estribo e remata. Terminou a lide com um palmo e um par de bandarilhas que fez vibrar os aficionados.


O furacão algarvio, como é conhecido, lidou um manso de 520kg de “murrilho” alto. Nos compridos andou em sortes aliviadas e com batidas ao piton contrário. Mérito na brega ao tirar o toiro de tábuas. Nos curtos rematou com piruetas na cara do toiro reservado. Entusiasmado cravou em curto e junto às tábuas. “Bateu palmas” e deixou um bom violino, e a proeza repetiu-se. Frente ao segundo de 480kg, Filipe Gonçalves citou de frente e desenhou bonitas sortes. Rematou igualmente com piruetas, mas desta vez por pouco que não apanhava um valente susto, ia sendo apanhado a “meio” da pirueta… Com o Zidane deixou um bom par e por insistência do público terminou com um palmo de boa nota.


João Maria Branco teve pouca sorte no sorteio. O primeiro de 470kg era complicado, reservado e desligava-se com facilidade. Foi uma lide com pouca história. O primeiro comprido resultou traseiro. Com o toiro a descair para tábuas o cavaleiro deixou apenas mais 4 curtos, e com algum esforço. O segundo, igualmente manso, de 490kg apresentava querença nos curros e descaía para tábuas. Ferros em sortes aliviadas e sesgadas, com mérito. Não ouviu música. O cavaleiro e peões de brega tiveram dificuldades em deixar o toiro em contra-querença.
João Maria Branco teve uma passagem discreta pelo Sobral.


No que toca à forcadagem, o Grupo de Vila Franca apresentou um leque de forcados jovens. Foram caras João Matos à 1ª, António Faria à 1ª que dobrou o seu irmão Francisco Faria, e Nuno Vassalo também à 1ª.


Pelos Amadores da Chamusca as pegas foram concretizadas por intermédio dos caras Mário Duarte (1ª tentativa), Diogo Cruz (1ª tentativa com o toiro a ensarilhar) e Igor Rabita (2ª tentativa).


Dirigiu a corrida o Sr. Lourenço Luzio.


Lisa Valadares Silva

Videos

[Videos][twocolumns]

Outras Reportagens

[outras reportagens][twocolumns]