Manuel Pires: “Pegar a corrida de homenagem aos Açores é um marco importante”

O Cabo do Grupo de Forcados amadores do Ramo Grande, Manuel Pires, considera que “pegar a corrida de homenagem aos Açores, a 11 de Julho, no Campo Pequeno, é um marco muito importante, quer para o Grupo, quer para toda a afición Açoriana”.
“Além disso, pegar em Lisboa é uma responsabilidade enorme. Esperamos poder estar bem e honrar o nome da nossa terra”, acrescentou.
Referindo-se ao Concurso de Pegas, anunciado para esta corrida, Manuel Pires considera que “pegar uma corrida Concurso de Pegas no Campo Pequeno com o Grupo da Tertúlia Tauromáquica Terceirense e o Grupo de Beja significa competição ao mais alto nível.” 
Recordou que “Beja tem sido um dos grupos triunfadores nos concursos de Pegas no Campo Pequeno e a Tertúlia Tauromáquica Terceirense é um dos grupos consagrados já com muitos anos de existência, pelo que teremos de estar ao nosso melhor nível.”
Manuel Pires manifesta ainda o desejo de que o 11 de Julho “seja uma noite de grandes Pegas.”
Outra figura açoriana participa nesta corrida: o cavaleiro Tiago Pamplona, que confirmará a alternativa das mãos de Ana Batista, com o testemunho de Filipe Gonçalves, Manuel Ribeiro Telles Bastos, Miguel Moura e João Salgueiro da Costa, frente a toiros da ganadaria Jorge de Carvalho, que comemora as suas “Bodas de Ouro”.
A anteceder a corrida, que será abrilhantada pela Banda da sociedade Filarmónica Rainha Santa Isabel, sob a direção do Maestro Durval Festa, exibir-se-á a Marcha dos Veteranos de Angra do Heroísmo (Ilha Terceira).

carregar a sorte