Acordo histórico: os oito países Taurinos unem-se para a promoção e defesa das culturas taurinas.

O acordo foi assinado na Praça de Toiros de Las Ventas, em Madrid, esta sexta-feira, com a presença de representantes dos oito países.


Lisboa, 13 de Maio de 2024

As entidades representativas da promoção e defesa da Tauromaquia nos oito países taurinos decidiram criar o Conselho Internacional das Culturas Taurinas (CICULT) e assinar um acordo de colaboração mútua. O evento de criação do CICULT teve lugar esta sexta-feira, 10 de Maio, às 12h30, na Sala Antonio Bienvenida da Praça de Toiros de Las Ventas, em Madrid, no qual marcaram presença diversas personalidades do mundo da cultura e da tauromaquia, além de aficionados de todo o mundo. 

As organizações que subscreveram este acordo foram a Fundación Toro de Lidia de Espanha, Observatoire National des Cultures Taurines de França, Protoiro de Portugal, Tauromaquia Mexicana, Corporación Libertad Cultural da Colombia, Asociación Cultural Taurina do Perú, Unión Nacional Espectáculos Tradicionales Ecuador y Asociación Venezolana de Tauromaquia.

Depois das boas-vindas dadas por Martin Casariego, em representação do Alcaide de Madrid, José Luís Almeida, todos concordaram com a maior importância deste acordo, que se realiza pela primeira vez na história da tauromaquia.

Para Victorino Martín, Presidente da Fundación Toro de Lidia, o acordo “é muito positivo e serve para fortalecer laços, resolver problemas e ter uma comunhão entre todos…”.

Para Francisco Macedo, Presidente da PROTOIRO, "Portugal esteve e está profundamente envolvido neste processo de união entre os oito países taurinos desde o início, e não tenho dúvidas que este dia histórico irá dar muitos frutos”.

Felipe Negret, Presidente da Corporación Libertad Cultural de Colombia, garantiu que “temos de continuar a dar identidade a este bloco cultural. Na Colômbia o povo celebra a festa como uma parte fundamental da sua identidade cultural e por isso temos de nos manter unidos.”
 
O francês André Viard, em representação do Observatoire National des Cultures Taurines de França, afirmou que: “Esperamos que todos sejam conscientes de que é preciso actuar e que este seja um ponto de partida para coordenar a defesa que se necessita em muitos países.”

Em representação da Asociación Taurina del Perú interveio Pablo Gómez de Barbieri, que destacou que este acordo, “entre todos defendemos a tauromaquia porque a cultura e a liberdade de expressão são direitos fundamentais do ser humano.”
 
O mexicano Manuel Sescosse Presidente da tauromaquia Mexicana, declarou que “este acordo ajuda-nos a continuar na defesa e unidos com o resto do mundo taurino teremos mais capacidade para obter melhores resultados.

Santiago Aguilar, da Unión Nacional Espectáculos Tradicionales de Ecuador, afirmou que “o mais importante deste acordo é conseguir a cooperação do ponto de vista jurídico, comunicacional, legal, ambiental e social.

Helder Milheiro, o porta-voz da PROTOIRO que coordenou o evento de apresentação, concluiu dizendo que “é um dia histórico. Isso não quer dizer que amanhã todos os problemas da tauromaquia estarão resolvidos, mas sim, que é o início dum caminho, e que se fale em conjunto a partir de uma cultura tão diversa e única como é a tauromaquia.”

PROTOIRO
Federação portuguesa de Tauromaquia

Sem comentários:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.