Encerrona com praça cheia para ver Rui Salvador.

Rui João Rodrigues Salvador, toureiro, arquitecto, pai, filho, marido, homem. Uma figura!Figura da festa! Em Tomar, no passado dia 8, foi a sua noite. José Mestre Batista concedeu-lhe alternativa a 9 de Agosto de 1984 no Campo Pequeno. Passados 30 anos ali estava! Ali na sua terra, acarinhado pelos seus. Aplaudido por conterrâneos e por todos aqueles que se deslocaram até terras Nabantinas para assistir a sua ‘encerrona’. Casa cheia! Corrida que fica na história de Rui Salvador, na história de Tomar e na história da tauromaquia. Noite repleta de emoção e arte.

Até Tomar foi um curro Murteira Grave de boa apresentação e comportamento, sendo que,para mim, o melhor foi o que encerrou a noite.

Brindes emotivos, tal não poderia ser de outra forma.

Seis toiros, seis lides. Seis lides distintas frente a seis diferentes exemplares da ganadaria Grave. Mas sempre com a raça que o caracteriza, as ganas, a ligação ao público, o sorriso, o contentamento pelas coisas terem corrido de feição. Eterno cavaleiro dos ferros impossíveis.

Três toiros de preto e ouro, três toiros de cinza e prata. Quatro toiros em solitário e dois toiros a duo.

Chamou à arena o seu filho Bernardo para a lide do quarto da noite. Tomar aplaudiu forte os ferros deixados por Bernardo. É filho da terra! Lide emocionante que deixou muitos com um brilho nos olhos.

David Gomes toureou com Rui Salvador o quinto da ordem. Lide ritmada e agradável que terminou com violino seguido de um palmo por parte de cada um dos cavaleiros.

O tempo faz a história. O tempo passa, a paixão permanece bem como a entrega. Rui Salvador ficará na história da festa. E aquela noite permanecerá na sua memória por muito tempo. E aqueles que assistiram não se esquecerão tão depressa da ‘encerrona’ do cavaleiro dos ferros impossíveis.

As pegas estiveram a cargo dos Amadores de Tomar que efectivaram por intermédio dos caras João Oliveira e Marcos Fernandes ambos à primeira tentativa. Estiveram igualmente em praça os Amadores da Chamusca que consumaram por intermédio de Luís Isidro ao segundo intento e Ricardo Silva ao primeiro. O Aposento da Chamusca também esteve presente concretizando uma pega à primeira tentativa por intermédio de Francisco Montoya e outra à segunda a cargo de Francisco Soto Barreiros.

Dirigiu a corrida o Sr. Rogério Jóia.

Lisa Valadares Silva
TAG